domingo, 4 de maio de 2014

TERMOS - LETRAS Am =>An

EM TESTES PARA FUTURA CORREÇÃO E PUBLICAÇÃO

AMACIANTES: são substâncias ou formulações que ao serem absorvidas pelas fibras dos tecidos, aumentam a lubrificação entre elas, tornando-se ma-cias ao tato.

AMADURECIMENTO DE FRUTAS: a engenharia genética permitiu a um grupo de cientistas descobrir um gene vegetal que é ativado pelo etileno. Segun-do Paul Simons (“New Scientist”), a experiência também revela que os sinais próprios dos hormônios vegetais são liberados da mesma maneira que os dos animais. O etileno é um gás simples constituído de átomos de carbono e hidrogênio e é, pela maioria dos especialistas, incluído na categoria dos hormônios vegetais. Sua importância na fisiologia vegetal é muito grande e foi descoberta casualmente pelos lavradores filipinos e portoriquenhos, que acendiam fogueiras em torno das plantações de manga e de abacaxi, certos de que a fumaça ajudava a iniciar e sincronizar a floração.

Em 1864, Girardin mostrou que o gás de ilumina-ção contribuía para a queda das folhas das árvores que ficavam a favor do vento em relação aos lampiões das ruas, o que foi confirmado por outros. Também se sabia que a fumaça acarretava amadurecimento dos frutos, alteração sexual nas flores do pepino e promoção da floração do abacaxi.

AMÁLGAMAS: é uma liga de mercúrio com outro metal qualquer. Os amálgamas tem aplicações diversas consoante ao metal que se funde com o mercúrio. Assim o amálgama de estanho é empre-gado na manufatura de espelhos. O amálgama de bismuto, serve para dar aos globos de vidro aparência metálica. O amálgama de ouro e de prata são empregados para dourar e pratear os metais. O amálgama de zinco e de cádmio é usado para revestimento de placas e pilhas elétricas.

ÂMBAR: é o nome que se dá a duas substâncias, conhecidas como âmbar-amarelo e âmbar-cinzento.

ÂMBAR-AMARELO: é a resina fóssil produzida por um pinheiro da era terciária. Dada sua plasticidade, tem servido para a fabricação de objetos de arte ou adorno. De seu nome em grego, elektron, originou-se o termo eletricidade, pois, as primeiras experiências elétricas foram feitas através do âmbar atritado.

AMBAR-CINZENTO: é uma substância sólida, cinzenta, formada pelos intestinos das baleias cachalotes e provenientes da matéria negra, segregada pelos cefalópodes. Tem cheiro semelhante ao do almíscar e é muito empregada em perfumaria. Encontra-se em massas pequenas e rugosas, sobrenadando em certos mares, normalmente no Oceano Índico.

AMBIENTALISTA: termo criado para traduzir environmentalist, surgido na última década para nomear a pessoa interessada ou preocupada com os problemas ambientais e a qualidade do meio ambiente ou engajada em movimentos de defesa do meio ambiente. Também usado para designar o especialista em ecologia humana.
 
AMENDOIM: as propriedades do óleo e proteínas do amendoim são de alto valor nutricional. É um produto de expressivo valor econômico nos países de primeiro mundo e naqueles que têm limitações de suplementação proteíca na dieta alimentar. O óleo de amendoim, considerado como óleo de excelente qualidade para fins alimentícios e farmacêuticos é emoliente, serve para iluminação, saboaria, lubrificação de relógios e máquinas finas.

AMERÍCIO (Am): é um elemento metálico radioativo transurânico pertencente ao grupo dos actíneos.

AMETISTA: é uma variedade de rocha de quartzo, empregada como pedra preciosa. É encontrada em veios e como revestimento interno da ágata. Sob a temperatura de 500oC adquire a coloração amarela ou acastanhada sendo falsamente chamada de topázio.

AMIANTO: ou asbesto são os nomes genéricos de um mineral natural, encontrado no solo em mais de 30 variedades, das quais apenas seis têm interesse comercial. Asbestos tem origem grega e significa  “que não é destrutível pelo fogo”. A palavra amianto é de origem latina (amianthus) e quer dizer incorruptível, sem mácula”. As duas palavras são sinônimas, porém o termo amianto é mais empregado nos países de línguas neolatinas, entre os quais o Brasil. Os cientistas acreditam que o amianto foi formado na Pré-História, numa fase secundária da formação da crosta terrestre. Nesse período, rochas de silício (como a peridotita, composta por magnésio, sílica e ferro) foram alteradas física e químicamente pela pressão, pelo calor e pela água, formando veios de fibras paralelas, com 1 a 40 mm de comprimento. Há dois grupos importantes de rochas amiantíferas: as serpentinas e os anfibólios.

AMIDAS(- CONH2): a família das amidas entre compostos nitrogenados se forma pela combinação de uma amina com um ácido carboxílico. O nitrogênio, da amina, perde um átomo de hidrogênio e o ácido perde o grupo hidroxila, originando água.

AMIDAÇÃO: é uma reação química que permite obter amidas, pela ação do amoníaco, aminas primárias ou secundárias, sobre ácidos, seus halogênios ou seus ésteres.

AMINAÇÃO: é a reação química que permite intro-duzir numa molécula, um ou mais radicais amino (-NH2).

AMIDO: é a parte da farinha sob forma de grânulos compostos de dois tipos de grandes moléculas: a amilose e a amilopectina. Aquecidos em presença de água, estes grânulos incham e se soldam em “gomas”.

AMINAS: são compostos orgânicos derivados da substituição de um ou mais átomos de hidrogênio na amônia (NH3) por grupos orgânicos alquilas ou arilas.

AMILASE: é uma enzima que atua como catalisador biológico na degradação das moléculas do amido.

AMINOÁCIDOS: são as unidades básicas das moléculas de proteínas. Eles contêm tanto um grupo amino (-NH2) como um grupo carboxílico (-COOH)  além  de um outro átomo ou grupo de  átomos na cadeia lateral, ligados ao carbono alfa.

AMINOÁCIDOS ESSENCIAIS: não são sintetizados pelo organismo, e, por isso, devem ser recebidos através dos alimentos. Alguns alimentos como a carne, o leite e os ovos, são denominados comple-tos e contêm todos os aminoácidos essenciais de que o organismo necessita.

AMOLECIMENTO DA ÁGUA: é o processo de retirada de alguns íons, tais como cálcio, magnésio, ferro, etc... Com estes íons presentes a água é chamada de “dura”. então, para “amolecer”, precisamos tirar de ação esses íons e um dos métodos é adicionar fosfato de sódio, pois este é um sal solúvel em água, mas os fosfatos do grupo 2 e outros grupos (exceto o grupo 1) da tabela periódica são insolúveis, logo, o íon fosfato se junta com os íons responsáveis pela “dureza” da água e precipita, amolecendo a água. Uma das consequências da presença destes íons é não permitir a formação de espuma.

AMOLECIMENTO DA CARNE: a adição de suco de abacaxi ou de mamão fresco numa carne proporciona um amolecimento absoluto. O suco  tem enzimas, moléculas que favorecem as diversas reações dos seres vivos, podemos chamá-las de catalisadores biológicos. Encontramo-las em todas as células vivas e, sobretudo, no suco de abacaxi ou de mamão fresco. Essas enzimas específicas do abacaxi ou do mamão (respectivamente a bromelina e a papaína) têm uma particularidade, são proteolíticas, isto é, degradam as proteínas. Ora, a carne é composta de numerosas proteínas, sobretudo colágeno, responsável pela dureza da carne. O suco de abacaxi ou do mamão, fresco, degrada a proteína chamada “colágeno” deixando a carne mais macia. Mas, cuidado se acrescentar demais a carne vira uma “papa” com gosto de abacaxi ou de mamão.

AMÔNIA (NH3): é um gás de odor pungente. A amônia, tira seu nome dos amoniano: adoradores do deus egípcio Amom, os quais,  usavam o sal volátil (cloreto de amônio) nos seus rituais. A amônia é um dos produtos químicos mais importantes, pois dá início à cadeia de produção industrial de alimentos. A amônia é um gás incolor e inflamável, nas condições normais. Dissolve-se prontamente em água, pois forma pontes de hidrogênio com as moléculas de água. Essa alta solubilidade contribui para a nossa percepção do seu odor, já que a amônia é capaz de dissolver fácilmente no meio aquoso que reveste o epitélio olfativo do nariz.

AMÔNIA LÍQUIDA: o gás amônia é facilmente condensado a amônia líquida. Amônia líquida é o solvente não aquoso mais estudado, assemelhando-se bastante ao sistema aquoso. A amônia líquida dissolve grande variedade de sais, metais alcalinos e os metais mais pesados do grupo II. 

AMONIACO: é o nome comercial da solução aquosa do gás amônia (NH3) de caráter alcalino. É usado em sistemas de refrigeração, na fabricação de ácido nítrico; quando liquefeito, pode ser utilizado como solvente de metais alcalinos e alcalinos terrosos e matéria prima para fabricação de fertilizantes.

AMORFO: é a descrição de um sólido que não é cristalino,ou seja não tem forma. Os vidros são exemplos de sólidos amorfos verdadeiros.

ANAERÓBICO: do grego an, “privação”, aéros, “ar” mais bios,  “ vida”. Por exemplo, organismos anaeróbicos são capazes de viver sem oxigênio.

ANAFORESE: é a eletroforese realizada com um colóide negativo, em que as micelas se dirigem para o ânodo ou, então com um aminoácido que produza zwitteríon negativo, quando dissolvido na água.

ANALGÉSICO: é uma substância que elimina a dor por ação central sobre o sistema nervoso.
Esta palavra origina-se do vocábulo grego ”algós”, que significa dor, antecedido do prefixo ”a” (que por eufonia, antes de vogal ou h se transforma em an), que exprime a idéia de privação ou negação. 

ANÁLISE DA ÁGUA: a água destinada ao consumo humano deve ser analisada periodicamente. Esse é um princípio moderno de controle de qualidade da água, e visa garantir que a água consumida pela população está adequada para beber. Normalmente, a qualidade da água é controlada através de amostras coletadas em locais pré determinados, e analisada em laboratórios, para se determinar a sua composição. A moderna tecnologia laboratorial permite detectar uma enorme variedade de substâncias e microorganismos na água, mesmo em concentrações extremamente baixas, da ordem de milionésimos de grama por litro. E em alguns casos até menos. Assim, por exemplo, periodicamente se faz uma análise bacteriológica da água, para se saber se a água está isenta de bactérias e virus patogênicos. 

ANÁLISE ELEMENTAR: visa determinar quais são os elementos existentes na substância(qualitativa) e quanto há de cada elemento na substância em estudo (quantitativa).

ANÁLISE ORGÂNICA: determinação do grupo funcional de um composto orgânico, através de reações químicas. Determinação da fórmula estrutural do composto analisado (quando possível).

ANÁLISE TÉRMICA: é usada para analisar os elementos constituintes de uma substância e abrange um grupo de técnicas, através das quais uma propriedade física de uma substância e ou de seus produtos de reação é medida em função da temperatura ou tempo, enquanto a substância é submetida a uma programação controlada de temperatura. Na  Análise Elementar o que queremos saber é o percentual de elementos tais como C, H, N, S e O em diversos tipos de amostras sólidas ou líquidas. Áreas de aplicações: pesquisa e desenvolvimento, controle de qualidade de produtos alimentícios, farmacêuticos, e poliméricos.

ANEL OU ARGOLA: é empregado como suporte do funil de filtração simples ou do funil de separação de líquidos imiscíveis.

ANEMÔMETRO: é um instrumento usado para medir a velocidade do vento, existem vários tipos de anemômetros e cada um tem uma característica.

ANESTÉSICO: é a substância que deprime o sistema nervoso central a tal ponto que o paciente perde toda sensibilidade à dor, sofrendo perda de consciência. Substância que evita que a dor seja sentida. 

ANFETAMINA: é um medicamento com poderosa ação estimulante sobre o sistema nervoso central. Pode ser usada no tratamento de pacientes que sofrem de depressão e também em regimes para emagrecimento, uma vez que inibe a sensação de fome.

ANFÓTERO: (anfi: prefixo grego que significa duplicidade) é a descrição de um composto que pode agir como um ácido ou uma base. Por exemplo, o hidróxido de alumínio é anfotérico: como uma base, Al(OH)3 , reage com um ácido formando-se íons de alumínio, como um ácido, H3AlO3, reage com uma base formando-se aluminatos. Os óxidos de metais são tipicamente básicos (alcalinos) e os óxidos de não metais tendem a ser ácidos. A água tem caráter anfotérico, pois pode ser um ácido ou uma base de Bronsted-Lowry.

ANFIPRÓTICA: são as substâncias que podem ganhar ou perder prótons, dependendo do meio que se encontram. Por exemplo a água é uma substância neutra segundo a teoria de ácido-base de Arrhenius, mas pela teoria de Bronsted-Lowry pode ganhar próton (H1+) formando o íon hidrônio (H3O1+) atuando como uma base ou perder seu hidrogênio na forma de próton (H1+) formando o íon hidróxido (OH1-) e atuando como uma ácido.

ÂNGSTRON(Å): é uma unidade de comprimento igual a 10-10 metro. Foi inicialmente usada para medir comprimentos de onda e distâncias intermoleculares, mas foi agora substituída pelo nanômetro. 1Å = 0,1 nanômetro. A unidade deve o nome ao pioneiro sueco da espectroscopia A. J. Angstrom.

ANIDRIDO: é ocomposto químico que origina um ácido por adição de água. Pode ser orgânico ou inorgânico. Pode ser considerado também como oriundo da desidratação de ácidos.

ANIDRIDO ACÉTICO: é o composto obtido pela desidratação do ácido acético. Seus principais  usos são na manufatura de produtos químicos, corantes, lacas para aviação, drogas sintéticas e acetato de celulose. É combustível e muito corrosivo.

ANIDRIDO CARBÔNICO: gás incolor, mais denso que o ar, inodoro e de sabor picante, quando dissol-vido na água. Encontra-se na atmosfera, pois é liberado pelos vulcões, águas termais e gasosas, originando-se ainda na respiração dos animais e plantas, bem como produto de combustão de quais-quer substâncias orgânicas. Muito usado em refrescos e refrigerantes artificiais. Sob forma de gelo seco, tem muitos empregos na indústria do frio.

ANIDRO: é a substância sem água de cristalização.

ANIL (C16H10O2N2): nome cientifico: INDIGOFERA ANIL. Uma combinação heterocíclica e uma substância corante para tingir de azul, encontra-se sob a forma de “glicoride indican” em muitas plantas tropicais. Pode-se obter por síntese. Este corante é substituído atualmente por anilinas sintéticas, (erva da família das papilonaceas).

ANILINA (C6H5NH2): conhecida por fenilamina ou aminobenzeno é uma amina aromática, líquida, oleosa e incolor, com um cheiro de terra. O composto é usado largamente na indústria da borracha e na produção de drogas e corantes.

ÂNION: é um íon de carga negativa originado de um átomo neutro ou um cátion que ganharam elétrons suficientes para que sobrem elétrons.

ANIS: é o termo genérico usado para definir as bebidas aromatizadas com a erva de mesmo nome, particularmente os licores. Na Espanha, onde o substituto do absinto chama-se ojen, o termo anis é usado especificamente para um tipo de licor espesso. Tanto o ojen como o anis são muito populares na Espanha e existem nas versões doce e seca.

ANISOTRÓPICO: indica um meio no qual algu-mas propriedades físicas são diferentes.  A madeira, por exemplo, é um material anisotrópico: a sua força ao longo do veios é diferente da força perpendicular a estes. Cristais únicos que não são cúbicos são anisotrópicos em relação a algumas propriedades físicas, como a transmissão de radiação electromagnética.

ANODIZAÇÃO: um método de revestir objetos feitos de alumínio com uma camada fina de óxido protetora, fazendo deles o ânodo numa solução eletrolítica contendo um eletrólito oxidável. A anoização pode também ser usada para fazer um acabamento decorativo através da formação de uma camada de óxido que pode absorver um corante.

ÂNODO: condutor de corrente elétrica chamado eletrodo, geralmente metálico, onde ocorrem oxidações, representado com sinal negativo em pilhas e baterias e positivo na eletrólise.

ANOMALIA DA ÁGUA: conforme abaixamos a temperatura a densidade da água vai aumentando, atingindo seu valor máximo a 3,98oC. A partir desta temperatura a densidade começa a diminuir novamente e o gelo formado fica menos denso que a água líquida. Explicação: a água muda do estado gasoso para o estado líquido quando baixamos a temperatura, a pressão constante, este abaixamento possibilita a formação de pontes de hidrogênio entre suas moléculas. O sistema fica mais organizado e a movimentação molecular diminui. Na faixa de temperatura, 3,98oC, intensifica a formação de pontes de hidrogênio, deixando a estrutura mais organizada num sistema tridimensional, mais aberto e como consequência seu volume aumenta e sua densidade diminui, pois a massa permanece constante. Lembrando que densidade é a divisão entre a massa da substância e o volume ocupado pela substância. Na temperatura de 3,98oC a água líquida tem sua maior densidade, ou seja 1gramas/mL. A  0oC a água líquida tem densidade igual a 0,9998 gramas por mililitro. A 0oC a água sólida (gelo) tem densidade igual a 0,917 gramas/mL.

ANTIÁCIDO: é uma mistura de substâncias com características  básicas com a finalidade de diminuir a acidez estomacal. Geralmente estas substâncias são sais ou bases formadas principalmente  por cátions dos elementos dos grupos 1 ou 2 da tabela periódica. Ex: bicarbonato de sódio,hidróxido de magnésio.

ANTIBIÓTICO: é uma substância elaborada por microorganismos vivos e capaz de inibir o crescimento de microorganismos patogênicos ou de destruí-los.

NTICONCEPCIONAL; CURIOSIDADES: ao longo dos séculos e em todas as culturas, as mulheres ingeriram muitas substâncias na esperança de evitar a concepção. Nenhuma delas realizava esse objetivo, exceto, talvez, quando deixavam a mulher doente tão doente que ela se tornava incapaz de conceber. Alguns remédios eram bastante simples: infusão de folhas de salsa e menta, ou de folhas ou casca de pilriteiro, hera, salgueiro, goivo, murta ou choupo. Misturas contendo ovos de aranha ou de cobra também eram aconselhados. Frutas, flores, feijão, caroços de abricó e poções mistas de ervas faziam parte de outras recomenda-ções. Em certa época o mulo teve um papel destacado na contracepção, supostamente por ser o produto estéril do cruzamento de uma égua com um jumento. Dizia-se que a mulher se tornaria estéril se comesse o rim ou o útero de uma mula. Para a esterelidade masculina, a contribuição do animal não era menos saborosa - o homem devia comer os testículos queimados de um mulo castrado. O envenenamento por mercúrio pode ter sido um meio eficaz, para a mulher, de assegurar a esterilidade caso ela ingerisse um remédio chinês do século VII à base de azougue(um nome antigo do mercúrio) frito em óleo - isto é, se o remédio não matasse primeiro. Soluções de diferentes sais de cobre eram ingeridas como anticoncepcionais na Grécia antiga e em partes da Europa no século XVIII. Um estranho método medieval recomendava que a mulher cuspisse três vezes na boca de uma rã. A mulher ficaria estéril, não a rã!

ANTICONCEPCIONAL; HOMENS: fenóis que ocorrem naturalmente têm muitas vezes dois ou mais grupos hidroxila(OH) ligados ao anel de benzeno. O gossipol é um composto tóxico, classificado como polifenol porque tem seis grupos hidroxila em quatro anéis de benzeno diferentes. Extraído da semente do algodoeiro, o gossipol demonstrou-se eficaz na supressão da produção de esperma nos homens, o que o torna candidato potencial a método anticoncepcional químico para homens. O uso de um contraceptivo como este poderia ter implicações sociais significativas.

ANTICONGELANTE: é uma substância que reduz o ponto de solidificação da água. Durante invernos rigorosos os motoristas adicionam à água do radia-dor um anticongelante, como o etileno-glicol (etano-1,2 diol), para impedir o congelamento da água. O ponto de solidificação ou congelamento de um líquido pode em geral ser reduzido com a dissolução de uma substância no líquido.

ANTIDETONANTE: chamamos de antidetonantes certas substâncias que, ao serem misturadas à gasolina, aumentam sua resistência á compressão (índice de octanagem). Os mais comuns são: chumbo tetraetila, naftaleno, MTBE, etc.

ANTÍDOTO: substância que neutraliza o efeito de substâncias venenosas, como os agrotóxicos.

ANTIESPUMANTE: substância que contém uma combinação de partículas sólidas hidrófobas (sílica, cera, etc) e óleo de silicone. A esta mistura são adicionados outros componentes, para facilitar o processamento e controlar qualquer efeito colateral indesejável. A eficácia dos compostos antiespumantes se deve ao fato da sua tensão superficial ser sempre menor que a da parede das bolhas de espuma. As gotículas de antiespumante atraves-sam um ciclo de 5 fases. Uma gotícula de antiespuma que rompe a parede de uma bolha de espuma fica disponível novamente para o ciclo seguinte. Contudo, como uma pequena quantidade das gotículas do antiespuma é perdida durante cada ciclo, o produto irá gradualmente perdendo sua eficácia.

ANTIMATÉRIA: é um tipo de matéria constituída de antipartículas.

ANTIMICROBIANOS: são as substâncias que previnem o crescimento de micróbios e agregam propriedades médicas a produtos de consumo, como sabões e pastas de dentes.

ANTIMÔNIO (Sb): classificado como semimetal ou metalóide. Possui várias formas alotrópicas. Por se dilatar ao solidificar, tem muitas aplicações na forma de ligas metálicas. Forma vários compostos químicos, alguns dos quais de importância industrial como pigmentos, remédios, etc.

ANTIOXIDANTE: assim como os conservantes, os antioxidantes procuram manter os alimentos em boas condições de consumo por mais tempo. Eles tem sua principal aplicação em óleos e gorduras, impedindo ou retardando sua deterioração, evitando a formação de “ranço” por algum processo de oxidação. Podem ser encontrados em sorvetes, leite em pó instantâneo, leite de coco, produtos de cacau, conservas de carne, cerveja, margarina, óleos e gorduras em geral, farinhas, polpa e suco de frutas, refrescos e refri-gerantes.

ANTIPARTÍCULA: é a partícula que possui propriedades opostas às de outra. Para cada partícula, existe uma antipartícula que tem a mesma massa, mas uma carga elétrica oposta, ou outra propriedade oposta. Por exemplo, o elétron tem carga negativa e sua antipartícula, o pósitron, tem carga positiva. As antipartículas podem ser produzidas em aceleradores de partículas.   

ANTIPIRÉTICO: é a substância ou processo utilizado para diminuir ou fazer desaparecer a febre.

ANTIREDEPOSITORES: certas substâncias mantêm em suspensão a sujidade removida, evitando sua redeposição sobre o objeto limpo.

ANTISSÉPTICO: é uma substância química que na presença de microorganismos, é capaz de impedir sua proliferação (ação bacteriostática) ou de matá-los (ação bactericida).

ANTI-SEPSIA: destruição dos patógenos vegetativos em tecidos; “Sepse” é um termo grego que significa “podre” ou “estragado”, indicando contaminação bacteriana

ANTIUMECTANTE: é a substância capaz de reduzir a absorção de umidade pelos alimentos.

ANTRACENO (C14H10): é um sólido branco crista-lino. Um hidrocarboneto aromático com três anéis fundidos ou condensados. Usado especialmente na fabricação de tintas.

ANTRAZ: também chamado de antrax,  é a mais provável arma biológica a ser usada por um grupo terrorista, devido à facilidade de espalhá-lo, e à enorme mortalidade que causa. É uma doença bacteriana que infecta animais, geralmente ovinos e bovinos. Seu agente causador é o Bacillus anthracis, um bacilo (bactéria em forma de bastonete) que ocorre em todo o mundo. Ele é capaz também de formar esporos altamente resistentes ao calor e à falta de água, e que portanto podem continuar ativos por muitos anos. Os animais são comumente infectados através da ingestão do esporo encontrado em pastagens ou alimentos contaminados. O ser humano pode ser infectado através da ingestão de carne contaminada ou por contato com carcaças, couro, lã, pelos e ossos contaminados, ou pela aspiração de esporos em suspensão no ar.  A versão cutânea da doença causa furúnculos e carbúnculos (bolhas e pústulas amarelas e negras na pele) e pode ser curada facilmente (em 99% dos casos) com antibióticos, principalmente penicilinas sintéticas. As versões digestivas e respiratórias, entretanto, são quase sempre fatais, pois antibióticos e antisoros costumam ser ineficazes no tratamento. A doença começa com os sintomas de uma gripe após um a sete dias de incubação, e se torna extremamente grave em dois a três dias, causando uma mortalidade superior a 95%.

Nenhum comentário:

Postar um comentário